Fundos de Investimento Imobiliário – FII

  • 26/07/2017
  • Por: Luiz Gasparelo

Fundos de Investimentos Imobiliários (FII) são formados por um grupo de investidores com o objetivo explorar a locação, arrendamento, venda e demais atividades do setor imobiliário ou de títulos e valores mobiliários ligados a esse setor, como LCI’s, CRI’s e ações de empresas do setor.

Cabe ao administrador (instituição financeira) constituir o fundo, captar recursos junto aos investidores e submeter-se a todas as exigências legais impostas pelos órgãos reguladores, como, por exemplo, Receita Federal e CVM.

Qualquer FII possui um regulamento que, dentre outras disposições, determina a política de investimento do fundo. A política pode ser específica e estabelecer, por exemplo, que o FII invista apenas em imóveis prontos destinados ao aluguel de salas comerciais, ou ser genérica e permitir ao fundo adquirir imóveis prontos em geral ou em construção, os quais poderão ser alugados ou vendidos.

O fundo obterá rentabilidade com a locação, venda ou arrendamento, caso invista diretamente em imóveis, ou de rendimentos oriundos de ativos mobiliários. Já o investidor obterá renda pela negociação de suas cotas no mercado secundário, no recebimento de amortizações ou pela liquidação do fundo, conforme sua política de investimentos ou deliberação em assembleia.

Para o investidor as vantagens de se aplicar em um FII, podem ser listadas, dentre outras:

  • • Aplicar em ativos relacionados ao mercado imobiliário sem, de fato, precisar comprar imóveis;
  • • Investir no mercado imobiliário com pequenos montantes de recursos;
  • • Diversificar os investimentos em shopping centers, hotéis, residências, hospitais, terrenos e outros;
  • • Terceirizar as tarefas ligadas à administração de um imóvel (compra, venda, procura de inquilinos, manutenção, recolhimento de tributos);
  • • Possibilidade de obter isenção de imposto de renda desde que: as cotas do Fundo de Investimento Imobiliário sejam admitidas à negociação exclusivamente em bolsas de valores ou no mercado de balcão organizado; possua, no mínimo, 50 (cinquenta) quotistas; e nenhum detentor de cotas pessoa física represente 10% ou mais da totalidade das cotas emitidas ou cujas quotas lhe deem direito a rendimento superior a 10% do rendimento do fundo;

A plataforma ATLAS/PAS permite o controle da rentabilidade, fluxo de caixa, tributos, eventos corporativos e contabilidade desses fundos, tanto na visão do cotista, como na visão do administrador do fundo. Neste caso, faz-se necessária a integração com o sistema de administração imobiliária.

AUTOR:

Luiz Gasparelo

Luiz Gasparelo juntou-se a Britech em 2011 e é responsável pelas vendas de ponta, desenvolvimento de negócios e gestão de relacionamento com o cliente. Luiz tem 20 anos de experiência nos mercados financeiros brasileiros, aplicando a sua experiência empresarial para o desenvolvimento de produtos e implementação no Bradesco, YMF, a Datasul e TOTVS.

0 Comentários

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>