Fundos de Investimento em Participações – FIP

  • 24/07/2017
  • Por: Luiz Gasparelo

Um Fundo de Investimento em Participações (FIP) ou “Fundo de Private Equity” é uma comunhão de recursos reunidos para aplicação em empresas abertas ou fechadas em fase de desenvolvimento. Este tipo de fundo busca criar valor para a companhia no reforço do seu capital, no desenvolvimento do seu negócio e na implementação de práticas de governança corporativa.

É considerado como um investimento em renda variável na forma de condomínio fechado, em que as cotas somente podem resgatadas no término de sua duração ou na liquidação deliberada por assembleia de cotistas.

O FIP deverá participar do processo decisório da empresa investida influenciando suas decisões estratégicas e de gestão. Esta participação pode acontecer pela (I) detenção de ações que integrem o respectivo bloco de controle; (II) pela celebração de acordo de acionistas; (III) ou pela adoção de procedimento que assegure ao fundo efetiva influência.

Os FIP’s são legalmente classificados em diferentes categorias de acordo com a composição dos seus ativos (participações em empresas) e tais categorias acarretam controles, regras de enquadramento e condições de investimento diferenciados, conforme listado abaixo:

  • • FIP – Capital Semente;
  • • FIP – Empresas Emergentes;
  • • FIP – Infraestrutura;
  • • FIP – Produção Econômica intensiva em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação;
  • • FIP – Multiestratégia.

Os FIPs devem manter ao menos 90% de seu PL em ações, debêntures simples, bônus de subscrição ou outros títulos conversíveis em ações, bem como participação em sociedades limitadas. A exceção são as debentures simples, cujo limite máximo é de 33% do capital subscrito do fundo.

Um FIP pode investir até 20% de seu capital em ativos no exterior, desde que tais ativos possuam a mesma natureza dos ativos locais. Podem ainda investir em cotas de outros FIP ou em cotas de fundos de ações – mercado de acesso para fins de atendimento do limite mínimo de 90%.

O FIP que obtiver apoio financeiro direto de organismos de fomento está autorizado a contrair empréstimos, diretamente desses organismos, limitados ao montante correspondente a 30% dos ativos do fundo.

O investidor deste tipo de fundo participa do crescimento dos negócios das companhias em carteira, independentemente de serem de capital aberto ou fechado, proporcionando elevado potencial de retorno e, considerando as diferentes empresas nas quais se pode investir, pode-se reduzir o risco global da carteira.

A plataforma ATLAS/PAS permite o controle da rentabilidade, fluxo de caixa, tributos, eventos corporativos e contabilidade desses fundos, tanto na visão do cotista, como na visão do administrador do fundo.

AUTOR:

Luiz Gasparelo

Luiz Gasparelo juntou-se a Britech em 2011 e é responsável pelas vendas de ponta, desenvolvimento de negócios e gestão de relacionamento com o cliente. Luiz tem 20 anos de experiência nos mercados financeiros brasileiros, aplicando a sua experiência empresarial para o desenvolvimento de produtos e implementação no Bradesco, YMF, a Datasul e TOTVS.

0 Comentários

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>